“Drogas lícitas, álcool e cigarro matam mais que a cocaína”

A desmistificação de que o álcool e o cigarro são menos perigosos que drogas ilícitas, ou seja, aquelas que não podem ser comercializadas livremente – caso da cocaína – foi um dos focos da 1ª Semana Regional de Prevenção às Drogas, que acontece em Piedade até esta sexta-feira (26). O evento é uma realização do Grupo Viva em parceria com a prefeitura do município de Piedade, por meio da Diretoria de Educação.

“Precisamos parar de achar que, por serem vendidos em qualquer lugar, o cigarro e o álcool não fazem tão mal ao organismo”, disse a psicóloga clínica e especialista em dependência química Katia Regina Antunes Martins, uma das palestrantes na segunda noite do evento.

Dados da Organização Mundial da Saúde revelam que o cigarro é responsável por 70% das mortes relacionadas ao uso de drogas a cada ano, enquanto o álcool é responsável por 26% desse total. Ela ressaltou ainda que, de forma oposta, a sociedade mistifica as drogas ilícitas, não as tratando como merecem, como questão de saúde pública.

“Os critérios utilizados para determinar as drogas lícitas e ilícitas são mais culturais do que científicos. Esta divisão eminentemente cultural pode passar a idéia de que as drogas lícitas são seguras, ao passo que as ilícitas são perigosas, demoníacas até.

Na realidade, o álcool e o tabaco são as substâncias que mais levam seus usuários à doença e à morte. São as que mais causam mortes passíveis de prevenção no mundo”, completa a médica e terapeuta familiar Olga Joveleviths, que dividiu a palestra com a psicóloga.

O público jovem foi a grande sensação do evento, cuja abertura contou com a psicóloga Cláudia Soares, diretora terapêutica do Grupo Viva. A profissional falou sobre “A responsabilidade da sociedade na prevenção ao uso de drogas”, com casos reais que emocionaram o público presente.

A Semana foi aberta pelo prefeito Geremias Ribeiro, pelo deputado estadual Hamilton Pereira e pelo presidente do Grupo Viva Inácio Marchette. Na oportunidade, o deputado destacou a iniciativa e a participação do público, que lotou o anfiteatro municipal nas primeiras palestras.

Na quarta-feira (24), Carla Maria Montalto, presidente do instituto Alerta, entidade especializada na orientação familiar e em projetos de prevenção da dependência química, falou sobre drogas, saúde e educação, com a palestra: “Como educadores e profissionais de saúde podem orientar a família em relação ao problema das drogas”.

Um debate com algumas das principais autoridades do município marcou a quinta-feira, com a participação da sociedade local. Entre os resultados positivos do debate, ficou o compromisso de uma audiência pública para criar o Conselho Municipal Sobre Drogas, que será fundamental para um trabalho efetivo de prevenção.

A programação foi encerrada na sexta-feira, dia 26, dia mundial de combate às drogas, com um tira-dúvidas com as principais questões levantadas pelos participantes ao longo do evento, disponibilizadas em uma urna no local das palestras. O encerramento ficou por conta da psicóloga Cláudia Soares e pela diretora de educação do município, Jávara Belisário.

Drogas e diversidade: O grupo Viva também esteve presente apoiando o Seminário Regional Álcool e Drogas e Diversidade, realizado na semana passada em São Paulo pela Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead). O evento, ocorrido na sede da Associação dos Advogados de São Paulo, foi uma oportunidade inédita de discutir o uso de drogas relacionado ao público LGBTT.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Grupo Viva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *