Alcoolismo e Sexualidade

O uso do álcool, principalmente na cultura ocidental, é socialmente aceito, podendo ser encontrado e consumido em qualquer esquina. Seu uso tem sido justificado diante de situações de frustrações ou até como forma de valorizar as conquistas.

A ingestão de bebidas alcoólicas, de forma moderada, em eventos sociais, festas e encontros amorosos, tem um papel facilitador na liberação de sentimentos e muitas vezes do aumento do interesse sexual.

Por outro lado é importante salientar que o uso dependente do álcool ocorre, às vezes, de forma silenciosa, sem que a família e o próprio indivíduo não se dêem conta.

A utilização constante e abusiva é o caminho certo para a dependência física e psicológica. A maioria desses bebedores não se considera dependente e reafirma insistentemente que facilmente deixará a bebida quando achar necessário. Ledo engano, independente que muitos deles, continuam a exercer com destaque ou eficiência sua atividade profissional.

Esses bebedores, na maioria das vezes, necessitam de companhia para beber e isso ocorre normalmente após o trabalho, sempre com o pretexto de se divertirem ou relaxarem.

Nessas condições, é quase impossível chegar em casa e ainda ter disposição para conversar com a família. Deixam de ser o companheiro que discute as questões que interessam a parceira e os filhos. Ao contrário, se solicitados, se mostram irritáveis, chatos, ou até mesmo sonolentos.

O impacto ou desgaste na vida sexual é inevitável. A admiração, o amor e mesmo a atração sexual começa a perder sua força e entusiasmo. É comum esses homens, mesmo percebendo a falta de motivação sexual na vida a dois, se cobrarem em relação ao seu desempenho sexual e os primeiros sustos começam a ocorrer a partir dos 40 anos; a ereção não é firme, vigorosa e não se mantém por muito tempo.

Esse é o itinerário comum para a disfunção erétil definitiva.

Caso você se dê conta de que está usando o álcool de forma constante e abusiva, procure avaliar a sua relação com a bebida e suas conseqüências na vida amorosa. Além disso, se perceber uma redução da sua potência sexual procure ajuda médica, pois atualmente além do viagra novos medicamentos surgiram como o levitra e o cialis, que podem ajudá-lo a superar o problema sexual e a psicoterapia para superar a dependência ao álcool, fazendo com que possa retomar uma vida sexual prazerosa.

É importante lembrar que a emancipação feminina tem contribuído para o aumento de mulheres dependentes de álcool, com inevitável comprometimento da sua sexualidade.

Dr. Moacir Costa médico Psicoterapeuta em SP. Autor do livro “Mulher – A conquista da liberdade e do prazer” – Ediouro

Fonte: Governo do Brasil

CategoriasSem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *