Carta aberta a meu filho adolescente sobre bebidas e drogas

Em um piscar de olhos, aquele seu garotinho que fazia apresentações na escola para o Dia das Mães se transformou em um adolescente. As brincadeiras foram trocadas por saídas com os amigos. E é justamente essas saídas que costumam preocupar os pais, afinal, sabemos que é comum nesta fase o primeiro contato com o álcool e outras drogas.

Kathy Radigan, mãe do adolescente Tom, decidiu deixar claro seus sentimentos através de uma carta aberta. Vale a pena ler:

Querido Tom,

A idade legal para beber álcool é 18 anos. Por favor, saiba que papai e eu nunca permitiremos que você tome bebidas alcoólicas em nossa casa ou em nossa presença até que você atinja essa idade. Por favor, saiba também que nada de bom jamais veio de um grupo de adolescentes bebendo. É uma receita para todo tipo de desastre.

Se você escolher beber, não apenas estará rompendo as regras de nossa casa, como estará infringindo a lei.

Se você for detido por dirigir embriagado, ou se a polícia for chamada a uma festa onde você esteve bebendo, você poderá ficar em uma situação em que não poderemos protegê-lo.

Sempre telefone para mim e para seu pai. Sempre. Não importa o que você tenha feito.

Nunca responda a uma ação ruim com outra pior só porque você tem medo de nos decepcionar ou nos irritar.

Nós ficaremos felizes? É claro que não. Mas preferimos ter você e qualquer amigo(a) que queira vir para casa com você em segurança do que receber um telefonema dizendo que você nunca voltará para casa.

Deixe-me ser clara de que o fato de que o amamos e o defenderemos não significa que vamos ficar apenas observando enquanto você faz coisas que sabe que não são boas para você.

Alguns lhe dirão que seus pais estão sendo irracionais e totalmente irreais. Alguns poderão lhe dizer que você é um adolescente e que embriagar-se é um rito de passagem. Eles podem até lhe contar histórias sobre seus próprios erros na juventude.

Escute seu coração e confie em seus instintos. Saiba também que não há nada bacana em acordar em seu próprio vômito, ou ter uma overdose.

Seu pai e eu nos orgulhamos do homem que você está se tornando. Nós o amamos tanto que não nos importamos que você nos odeie. Este é o nosso presente para você — somos seus pais, e não seus amigos.

Sempre sua, Mamãe

 

Veja também: 6 dicas essenciais para falar sobre o uso de álcool com os filhos

 

Com informações de Brasil Post

CategoriasSem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *