Cerveja não mata a sede e nem alivia a tensão

Especialista diz que substituir água por álcool desidrata e aumenta o estresse.

Se um dia quente, com termômetros acima dos 35 graus, é o pretexto perfeito para um happy-hour regado a muita cerveja, a médica nutróloga, Maria Del Rosário, diretora da Associação Brasileira de Nutrição (Abran), joga um balde de água fria nas desculpas recorrentes para beber após o expediente.

Segundo ela, bebida alcoólica não mata a sede e muito menos alivia a tensão.

“Pelo contrário. O álcool desidrata ainda mais o organismo e, em excesso, ele ‘rouba’ vitaminas do corpo importantes para combater o estresse”, afirma a especialista.

A explicação é fisiológica, esclarece Maria Del Rosário. Como a cerveja é metabolizada no fígado, o corpo gasta mais vitaminas do complexo B para concluir este processo.

“São estes nutrientes que ajudam o organismo a lidar melhor com o estresse. Quando estão em falta, a tensão, o cansaço e a estafa aumentam”, ensina.

Simultaneamente, o etanol presente nos drinques também eleva a pressão arterial e aumenta o suor. O resultado é mais transpiração e, sem cuidado, o resultado pode ser desidratação e desmaio.

Apesar disso, Maria Del Rosário não é contra o happy-hour em dias de calor, oportunidade de bater papo, se divertir e encontrar os amigos.

Fonte: iG Saúde

CategoriasSem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *