Filme alerta para os perigos da bebida

Os cinemas britânicos estão apresentando o curta-metragem Spiked! (Salpicado, em tradução livre) alertando para os riscos de estupros provocados por drogas em bebidas de mulheres.

O filme faz parte de uma campanha de conscientização e é dirigido por Suzanne Jones, que se inspirou na história real de uma amiga que foi estuprada no norte de Londres, no ano passado.

O curta – que ficará em cartaz antes de filmes como Kill Bill, de Quentin Tarantino, e O Jovem Adão, com Ewan McGregor, até novembro.

Mostra um homem paquerando uma mulher, pouco antes de salpicar drogas na bebida dela. No fim do filme, a mulher reaparece, descabelada e cambaleante.

Abaixo dessas imagens, pode-se ler a legenda: “Agora, estupradores não têm que usar força para conseguir o que querem. Quem está de olho na sua bebida?”

A investigação da polícia no caso da amiga da diretora chegou a apelar para o programa da TV BBC Crimewatch, que relata casos de polícia, mas até hoje, o criminoso está à solta.

Perigos

Os idealizadores da campanha querem alertar as mulheres britânicas sobre os riscos potenciais e as medidas que podem ser adotadas para evitá-los

Jones, que dirige comerciais de televisão, afirmou que as pessoas precisam ser informadas sobre como se proteger.

“Eu tive a oportunidade de ajudar a alcançar isso, por isso filmei Spiked!”

Especialistas dizem que drogas não são os únicos aditivos utilizados pelos estupradores para reduzir a resistência das suas vítimas.

O álcool também é amplamente usado. O detetive-chefe Peter Sturnam, da Fundação Estupro com Drogas, diz que pessoas intoxicadas são muito mais vulneráveis a ataques sexuais e a outros tipos de crime.

“Temos, todos, que tomar cuidado quando saímos, principalmente quando isso envolve álcool”, afirma Sturnam.

Estatisticas

As estatísticas indicam que a incidência desse tipo de estupro pode estar crescendo. Segundo a polícia de Londres, foram registrados 164 casos de estupro com drogas em 2001.

Em 2002, o número subiu para 192, um aumento de 17%.

O Serviço Médico Legal afirma que realiza todo ano 450 investigações sobre casos de estupros com drogas.

No entanto, o Ministério do Interior britânico diz que as estatísticas estão bem abaixo da realidade.

Os produtores do curta afirmam que novas “drogas de estupro” surgiram. GHB, também conhecida como Ecstasy líquido e Ropinol são as mais comuns.

A Federação Crise do Estupro (FCE) afirmou que campanhas de conscientização sobre estupros deveriam tentar atingir uma população maior.

“Não é só responsabilidade das mulheres”, afirmou Sue Griffiths, da FCE.

“Amigos, funcionários de boates e seguranças têm a responsabilidade de observar comportamentos suspeitos.”

Fonte: BBC

CategoriasSem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *