Jovens experimentam primeiro porre em festa de família

Atualmente, as bebidas alcoólicas podem ser consideradas uma das drogas mais utilizadas no mundo ocidental; grande parte das pessoas já experimentou seus efeitos. Entretanto, o que mais preocupa os especialistas é que cada vez mais cedo os jovens experimentam o primeiro “porre”.

“O consumo de bebidas alcoólicas em festas de família é um dos principais motivos de os jovens começarem a beber. Tomam uma batida porque é fraca e doce e, aos poucos, vão evoluindo para outras bebidas.”

Quanto mais novo o indivíduo começa a beber, maiores são as chances de se tornar um alcoólatra.

“Iniciando muito cedo, quando estiver com 30 anos de idade, já começará a sofrer com os efeitos do álcool no organismo”, explica o biomédico Mauro Marques Ferreira Júnior.

Numa intoxicação aguda, ou seja, num porre, o álcool provoca, de início, sensação de euforia, bem-estar e desinibição. À medida que a concentração sangüínea de álcool aumenta, o indivíduo começa a apresentar falta de coordenação motora, diminuição do senso crítico e dos reflexos (o que torna perigoso o ato de dirigir), confusão mental, náuseas e sonolência. Esses dois últimos efeitos, explica Mauro, são importantes, pois provocam uma pausa na ingestão e, caso ele continue bebendo, os sintomas de intoxicação podem evoluir para neuro hipoglicemia, coma alcoólico e até morte por depressão respiratória.

O alcoolismo crônico é considerado uma doença grave, de interesse dos órgãos de saúde pública. Além dos problemas físicos que o alcoólatra apresenta, como desnutrição, hepatite tóxica, pancreatite, cirrose hepática e outros, ele manifesta uma série de distúrbios comportamentais. “O alcoólatra é uma pessoa agressiva, apresenta déficit de memória e diminuição de interesse pelas coisas normais da vida: família, trabalho, escola, amigos, higiene, alimentação, sexo”, explica a biomédica Maria Paula Prizon Theodora dos Santos.

Com a proximidade do carnaval, época que, segundo Mauro, acontecem os primeiros porres dos jovens, aumentam as preocupações dos pais e dos órgãos de saúde. “Beber uma vez ou outra é normal. O problema é quem bebe diariamente e acha que bebendo pouco não é alcoólatra. Na verdade é; ele bebe todos os dias”, frisa Mauro.s

O importante é ter moderação e nunca perder o controle. Mauro lembra que o álcool é a principal causa de acidentes de trânsito, portanto, todo cuidado é pouco.

Fonte: JM On Line

CategoriasSem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *