Uma pessoa é internada a cada 20 minutos por causa de bebida alcóolica em SP

Em São Paulo, uma pessoa é internada a cada 20 minutos por problemas de uso de álcool, segundo levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde. Os motivos vão desde intoxicação por abuso pontual até cirrose alcoólica, problemas cardíacos e câncer.

Bares e restaurantes de São Paulo poderão até ser fechados se venderem bebida alcoólica a menores de 18 anos. Um projeto de lei responsabilizando o proprietário do bar se o menor consumir álcool em seu estabelecimento será enviado à Assembleia Legislativa.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) estima que 4% das mortes ocorridas no mundo (cerca de 2,5 milhões de pessoas) são ocasionadas pela bebida, sem contar acidentes de trânsito potencializados por ela.

No estado de São Paulo, o Cratod (Centro de Referência em Tratamento de Álcool, Tabaco e Outras Drogas) detectou que 80% dos pacientes diagnosticados alcoólatras deram o primeiro gole antes dos 18 anos, parte deles muito jovens, com 11 ou 12 anos.

Uma outra pesquisa, feita pelo Instituto Ibope, a pedido do governo do estado, apontou que 18% dos adolescentes entre 12 e 17 anos bebem regularmente, e que quatro entre dez menores compram livremente bebidas alcoólicas no comércio. Segundo a pesquisa, o consumo de álcool acontece, em média, aos 13 anos.

O projeto de lei encaminhado à Assembleia Legislativa pelo governador Geraldo Alckmin nesta segunda-feira prevê aplicação de multas de até R$ 87,2 mil para o restaurante, bar, supermercado ou loja de conveniência que for flagrado vendendo bebida para menores.

Atualmente, o comerciante só pode vender bebidas alcoólicas a maiores de 18 anos. No entanto, se essa pessoa repassa o álcool ao adolescente ou criança no estabelecimento, ele não tem qualquer responsabilidade. A nova legislação muda esse ponto e obriga o comerciante a pedir documento de identificação para realizar a venda ou deixar que o produto seja consumido no local.

Fonte:O Globo

CategoriasSem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *